RSS

OS BNEI ANUSSIM (“MARRANOS”) DEVEM, OU PRECISAM SE CONVERTER?

11 jan

BS”D

MEU PEDIDO PESSOAL

Peço que leiam com muita atenção o artigo e que vejam que estou apenas apresentando as idéias existentes e as discordâncias, mas que minha opinião, que não acredito ser verdade absoluta, darei somente por último. É importante entender que cada um, deve seguir o seu rav, deve entender o que é melhor para si e para os seus. Digo isso, porque entendo as dificuldades de união dos grupos. E saiba que medi cada palavra e tento julgar todos os casos para o bem, conforme nos ensinam nossos sábios.
O QUE ACONTECE NOS GRUPOS HOJE?
Hoje eu assisti um vídeo muito interessante de um rabino, onde o rabino explica por A + B que os anussim, SIM devem se converter. Comentei com um uma pessoa que não gosta dessa idéia, e com outra que é a favor dessa idéia. Bem eu escrevo sobre esse assinto e procuro entender um pouco sobre uma ótica geral desde 1998.
Não sei tudo e estou longe de dar uma resposta final sobre o assunto, mas posso ter idéias práticas para a resolução dos problemas relacionados a esse assunto.
Conversei na transição de 2016 para 2017 com um judeu azhkenazi que trabalha com processos internacionais ligados a comunidades Anussitas ou com histórico semelhante e a grande reclamação que ele fez, foi a mesma que ouço muito de rabinos Progressistas. A questão é, “os marranos são muito ortodoxos e sabem que não serão recebidos pelos ortodoxos, então porque eles não abrem mão disso para serem progressistas e se converterem por nós”.
Por outro lado há grupos de chamados descendentes de anussim, que rejeitam a idéia de converter-se, mas que dentre eles há também não judeus, candidatos a conversão que necessitam de conversão, segundo eles.
MINHA OPINIÃO PRAGMÁTICA
O que penso eu, nesta minha grande caminhada? Penso que a idéia de não desejar se converter-se é um “tiro no pé” e explico.
Sei que existem ALGUMAS “PEQUENAS” FAMÍLIAS que têm mantido casamentos entre membros de próprias famílias, mas são raros e tem interrupção quando seus filhões vão para grandes centros.  E mesmo estes que mantém uma linhagem dentro de suas próprias famílias, não têm documentos que possam, segundo a halacha ser confiáveis. Sendo assim, que façam a conversão e obtenham ao menos um documento. Digo isso para que possam garantir que seus filhos e netos tenham PROVAS. Pensar em orgulho e não pensar no caso dos filhos é algo muito sério. Os demais casos, precisam ter documentações. É importante isso. Pois se somos realmente BEM RELIGIOSOS como alguns dizem, entendemos que o melhor kasher, é o que tem a carta de um eksher kasher que tenha uma recomendação de um rav sério, e mais ainda, quanto mais selinhos, melhor. Dê a seus filhos a garantia que são e serão judeus. Não gaste tempo em algo que só vai atrasar sua vida e depois, concentre-se em estudar e viver judaísmo, mais nada.
QUANTO AO TIPO DE CONVERSÃO.
Nessa minha caminhada, vi muitos ditos anussim e alguns anussim, que tinham grande aparência de Haredi ou de Chassidim, mas eles sabiam muito de tradições e de Chumrot, mas pouco de Skafah (visão ou identidade “ideológica”). Muitos, na prática, tinham uma shkafah progressista e as ações eram “ULTRA-ORTODOXAS”. Sei que para quem não conhece, fica difícil identificar, mas realmente o distanciamento do povo judeu, cria uma nova identidade.
Estar longe não é positivo, é importante beber da fonte. Então, eu não posso dizer a vocês o que fazer, mas posso dizer que estar longe, é pior do que ter uma conversão que não é a que eu “mais gosto”. Se você deseja estar no povo judeu e garantir que seus filhos e filhas casarão com judeus, creio que deve deixar todas as outras prioridades de lado e correr para uma conversão e buscar com todas as forças e não desistir.
E QUANTO AOS RABINOS ORTODOXOS QUE NÃO NOS RECEBEM?
Se esse realmente é o desejo de vocês, façam um esforço real. Sei que é muito difícil se humilhar para conseguir alguma coisa, mas façam. Orgulho não vai levar ninguém a lugar nenhum. Halachot sim.
E ENQUANTO ELES NÃO NOS RECEBEM?  O que fazer?
Procurem um lugar sério, que esteja disposto a unir e ensinar vocês a viver judaísmo, internet é uma “Terra sem lei” e estudar pela internet não é a melhor opção. Se você está em um grande centro urbano e não vai garantir estar próximo a uma sinagoga, mude-se para próximo dela. Como vai garantir cumprir shabat? E comprar kasher? como deseja ganhar a confiança de um rabino?
Novamente, essa é minha opinião, e depois de anos batendo cabeça, acho que posso dizer que há uma esperança. Mas a escolha é de cada um, ficar lutando por conhecimento, ou ter a certeza com selo kasher de que você é judeu?
Sendo assim, eu sou a favor de uma conversão e mais do que isso, eu sou a favor de urgentemente os anussim unirem forças e recursos para que seus planos sejam atingidos.
PROBLEMAS NO PROCESSO.
Muitos dos ditos anussim e os anussim têm problemas com institucionalização. Por dois motivos culturais. Anussim de fato não precisavam de institucionalizar-se por que sempre foi tudo muito caseiro. Pessoas de centros urbanos estavam em outras religiões onde seus líderes não eram muito confiáveis com suas organizações e finanças. Os traumas e indisposições com uma instituição complexa, são gigantes e a dificuldade só cresce.  Diferente do meio judaico, os meios anussim não conseguem separar a política dos crenças pessoas que diferem, muitas vezes. É importante deixar as diferenças e divergências de lado e unirem-se politicamente. É importante que os descendentes dos judeus anussim ou mesmo os conversos procurem instituições que apoie os movimentos e invistam dinheiro para um projeto social para auxilia-los. UNIÃO é a chave. Mais do que a vontade, a união faz a diferença.
Não existem instituições para Emprego, para divulgação de novas vagas no mercado ou Malling de bolsas ou cursos. Não há Organizações para auxiliar os mais carentes, não há projeto para jovens ou para enterros. Não há projeto de cemitérios e etc. Sei que a meta é estar no centro da comunidade judaica, mas até lá? O que fazer?
Quanto aos Rabinos ortodoxos, como crerão que não é uma moda, mas um movimento legítimo e real? Deve-se pensar, casaremos com judeus, teremos netos judeus? Aceitaremos o que os Chachamim da nossa geração dirão ou seguiremos a nós mesmos? As respostas a essas perguntas estão em como iremos nos comportar e como iremos nos organizar.
Procurar alguém sábio e entendido que possa ajudar nesse processo é a chave e sempre ter em mente que, devemos ter algum documento que nos dê certeza que somos judeus. No caso dos anussim o melhor deles é o Guiur de conversão oficial.
Eu respeito quem pensa o contrário, mas quem confia no que eu tenho escrito, feito e dito todos esses anos, não há uma resposta mais honesta e mais prática que essa. BUSQUEM DE TODO O CORAÇÃO E MAIS DO QUE TUDO A CONVERSÃO. MOSTREM QUE QUEREM DE VERDADE OU DESISTAM.
Isso é o que penso de coração.

021 97137-0428 (Yôhan)

Yaakov
yaakovbenlev@gmail.com
Anúncios
 
1 comentário

Publicado por em janeiro 11, 2017 em Sem Categoria

 

Uma resposta para “OS BNEI ANUSSIM (“MARRANOS”) DEVEM, OU PRECISAM SE CONVERTER?

  1. kairostravellers

    janeiro 14, 2017 at 2:03 pm

    Shalom shalom!

    Me escreve falando mais de você? Eu sou activista e desejo te apresentar uma pessoa que é muito importante para os ANUSSIM!

    POR FAVOR ME ESCREVA! NÃO NO GRUPO. Meu e-mail claudiaregina_cvt@hotmail.com ou me add no whatsapp 031 996798560

    Por favor é importante!

    Lehitraot lekulam!

    Cláudia Regina.

    Em 11 de janeiro de 2017 16:24, Família Carneiro – Origens e tradições dos

     

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: