RSS

Judeu não é raça?

08 set

sanfona dos sefarad

Falando sobre o assunto que por muitas vezes se torna polemico a resposta mais simples as vezes é a melhor. Respondendo a essa questão a resposta é: Judeu é povo, famílias, que independente com o contato familiar com outros povos, continua sendo o que é Povo do Eterno e povo uns dos outros. Portanto todos os Judeus são judeus um mesmo povo com muitas etnias devido a dispersão na diáspora. Os Judeus não procuram converter pessoas de outros povos ou religiões, mas aceita o seu povo disperso com coração aberto independente de seu contato familiar.

Segue abaixo um pouco da diáspora e história dos sefaradim do Brasil.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Bnei anussim, filhos dos forçados ou “ben anús” (filho forçado). Sãos os descendentes de judeus Espanhóis e Cristãos-novos (mestiços com portugueses)  que foram obrigados a se converterem ao cristianismo pela imposição da “Santa Inquisição”. Na Espanha, Portugal e Brasil, os B’nei Anusim são encontrados principalmente em regiões de antiga colonização como na região Nordeste e na região Sudeste do Brasil. Embora afirma-se que em outros lugares possam ser encontrados com igual quantidade, os Sefaradim foram obrigados pela coroa portuguesa a residirem em cidades de ambiente árido e com dificuldade de sobrevivencia. Alguns dos ilustres sefaradim eram usados nas explorações e contatos com judeus que não se converteram, isso devido o conhecimento de astronomia e linguas. Em grande parte, o problema de má distribuição de bens do Brasil teve inicio na inquisição, pois os bens foram retirados das familias judaicas nordestinas e as familias de cristãos-novos passaram a sofrer com a falta de seus bens e acesso a cultura e estudo.

História

Como 90% dos perseguidos pela inquisição eram judeus, poucos os perseguidos pelos inquisidores eram de outros grupos. As dores e torturas perduraram muitos séculos. Devido ao medo, a história ficou por muitos séculos esquecida e encoberta com o sangue dos judeus que tinham esperança em voltar ao judaísmo ou serem resgatados por seus irmãos.

Na atualidade a história ficou popularizada pela internet com o vídeo “Zog Marano”. E devido às muitas histórias entre os nordestinos e mineiros sobre seus parentes judeus (que em grande maioria acredita que é história de roceiro). Pela curiosidade sobre o fundo de verdade na história, muitos dos jovens têm procurado resgatar essa história perdida. Pouco se fala ou se sabe alem das tradições e comentários sobre esse assunto, especialmente entre os moradores do interior de Minas Gerais e Ceará, mesmo assim eles ainda vivem o seu misto-cripto-judaísmo.

Características

Bnei anussim é o grupo de cripto-judeus ou somente de judeus descendentes dos Sefarditas (grupo de judeus com características semitas (árabes). Em geral, cabelo crespo, pele morena e nariz avantajado, distinguindo-se dos Falasha (judeus negros) e dos Asquenazes (judeus com caracteristicas arianas, descendentes de familias com contatos familiares com alemães, Poloneses e etc). Judeus não são proselitistas e a explicação dessas variações na raça é a união familiar cruzadas no decorrer da história judaica. Na China existem judeus com características chinesas e no Marrocos conservam o estereotipo árabe(semita). Em maioria os judeus carregam por característica cabelo crespo e nariz protuberante, sendo que no Brasil a maioria (com conhecimento judaico) parece muito com os europeus.

Segundo lendas dessas mesmas famílias, que apesar de não conhecer ou praticar integralmente a tradição e a religião judaica, ainda guardam o conhecimento geracional de sua identidade judaica, geralmente no nordeste. Segundo essas mesmas famílias, a tradição diz que a palavra sarará vem de sefarad (Espanha), embora a pronuncia seja parecida e haja ainda uma discordância entre o que tradicionalmente se lê em livros, fica em aberto uma das supostas marcas da etnia inicial dos sarará (sefarad). Mesmo não tendo uma prova concisa, temos uma possível corelação adjetiva que divide-se no significado Etmológico da palavra. Possivelmente essa marca existia e ela vou evoluindo e se modificando dependendo da influência e da percepção socio-cultural da região. A verdade é que Durante o passar dos anos o Brasileiro foi perdendo sua identidade exatamente por não conhecer detalhes da história que foram esquecidos, e por que não dizer ocultados. As informações que se têm sobre os bnei anussim do Brasil é que são familias dos filhos dos condenados na Espanha e em Portugal, sendo que os filhos, parentes foram processados pela “Santa Inquisição”, seus bens foram espoliados seu contato com cultura e educação (tanto laica quanto religiosa) foi restrito.

Outra teoria interessante é a da feijoada, partindo do principio que em outros países onde a inquisição era fortemente aplicada, pratos preparados de forma muito peculiar e com mesmas caracteristicas que a feijoada eram a mais eficaz forma de teste de anti-judaismo para reconhecer quais eram os praticantes da religião. Pratos a base de carne de porco misturado eram preparados para a confirmação do teste. Não somente a feijoada, mas pratos tipicos de minas gerais e do nordeste são preparados de igual forma o que atesta que não é somente esse prato que guarda essas caracteristicas. Apesar de não ser uma posição oficial histórica, é um fórte indicio pára o reconhecimento de detalhes particulares a cultura, tradição e indicios da religião, que embora não apareça tão latente, ainda guarda marcas e cicatrizes fortes na cultura.

Uma outra marca forte é o Berrante que em suma é igual ao instrumento usado tradicionalmente em guerras e na religião judaica, o Shofar. O berrante carrega caracteristicas muito semelhantes. Especialmente o Shofar de chifre de antilope.

Ligações externas

informações sobre a saída dos Judeus para os Estados Unidos (Manhattan)

Outros Judeus com sua história perdida e reencontrada

Fotos de Judeus ao redor do mundo

Anúncios
 
1 comentário

Publicado por em setembro 8, 2009 em Sem Categoria

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Uma resposta para “Judeu não é raça?

  1. Lincoln Santos

    setembro 3, 2013 at 3:54 am

    “Asquenazes (judeus com caracteristicas arianas, descendentes de familias com contatos familiares com alemães, Poloneses e etc).”

    sério, essa foi uma das maiores merdas que eu li nesse ano
    não sei que características arianas são essas que você falou, além da pele branca, que NUNCA foi exclusividade de arianos
    você é ridículo, um mulato com complexo de inferioridade querendo ser judeu

     

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: